Login
Nº Sócio
Pin
    
 

A magia escondida das Aldeias de Xisto


Passeio muito agradável, que nos permitiu observar paisagens de exceção e aumentar a nossa cultura


Saída de Sete Rios, no dia 27 de maio, em direção à Fraga de S. Simão, que é uma das mais imponentes escarpas de Portugal. Após um bom almoço no restaurante Varanda de S. Simão, dirigimo-nos para a aldeia de Álvaro, localizada numa encosta sobranceira ao rio Zêzere e que é uma das "aldeias brancas" da Rede de Aldeias de Xisto, não significando isso que o material de construção predominante não seja o xisto, apenas que a maioria das fachadas dos edifícios estão rebocadas e pintadas de branco. A destacar o diverso património religioso ali existente.

Continuação para a aldeia de Janeiro de Cima, que se encontra na margem esquerda do Rio Zêzere, rodeada de férteis terrenos agrícolas. No núcleo antigo da aldeia percorremos ruas sinuosas e estreitas, entre belas casas construídas em xisto, ponteadas por seixos redondos. Aí fizemos uma visita à Casa das Tecedeiras, onde ainda hoje são feitos diversos artigos regionais em linho e noutros materiais.

No parque da Praia Fluvial daquela localidade tivemos oportunidade de degustar queijo "Kosher" de Belmonte, acompanhado por vinho branco e licores da região, oferta da nossa fantástica guia. Seguiu-se a aldeia da Barroca na qual se destaca a Casa Grande, antigo solar do século XXVIII, onde funciona o Centro Dinamizador das Aldeias de Xisto.

No segundo dia após o pequeno-almoço fomos comprar diversas caixas das excelentes cerejas da região do Fundão e dirigimo-nos para o Piódão. Na viagem pudemos desfrutar da linda paisagem da Serra do Açor e chegados a esta localidade de exceção, visitámos o seu Museu e vimos o seu lindo casario em xisto.

Após um excelente almoço dirigimo-nos para a aldeia de Benfeita que foi a última das "aldeias brancas" da Rede de Aldeias de Xisto a visitar. A Fraga da Pena ao lado desta aldeia corresponde a um acidente geológico atravessado pela Barroca de Degraínhos, originando um conjunto de quedas de água sucessivas. Foi um passeio muito agradável, que nos permitiu observar paisagens de exceção e aumentar a nossa cultura.

Publicado em 27/06/2017